Você está aqui
Home > Dicas B&V > O charme das Food Bikes

O charme das Food Bikes

Um dos mercados que mais cresceram nos últimos anos foi o de food trucks. Depois do sucesso que os restaurantes sobre rodas fizeram, novas opções similares começaram a surgir, abrindo as portas para um nicho com grande potencial.
Uma delas foi o food bike, empreendimento que abrange bicicletas e triciclos adaptados para vendas no setor de alimentação. Hambúrguer, pipocas gourmet, café, bolos, doces e até brigadeiros podem ser encontrados rodando pelas ruas de muitas cidades por aí.

E pensando nessa opção “mais barata e prática”, hoje contaremos a história de duas empreendedoras que investiram em food bikes e já contam com o retorno das vendas.
Geanne Moreira, moradora de Tombos-MG, na Zona da Mata Mineira, começou a vender pipocas gourmet há pouco mais de três meses, mas foi no final de semana do dia dos pais que estreou sua food bike, num Festival Gastronômico que aconteceu em sua cidade. Segundo Geanne, foi um sucesso absoluto de vendas.

“Superou minhas expectativas! Fizemos uma determinada quantidade para a estreia e vendemos tudo, estamos muito satisfeitas”. Disse Geanne.

Em Itaperuna, o empreendimento é um pouquinho maior. Dona Lia Márcia e seu marido Billy Graham, moradores do bairro Niterói em Itaperuna-RJ, trabalham com venda de doces variados (Tortas, bolos de pote, brigadeiros, trufas, entre outros). Antes das 7h da manhã já estão na cozinha fazendo os docinhos que serão vendidos em duas universidades da cidade.
Dona Lia Márcia já trabalhava com vendas de doces com horário marcado, em uma das universidades, montava uma barraquinha na qual o marido vende na rua mesmo. Mas, por enquanto, isso porque o casal já adquiriu uma segunda food bike que será entregue nos próximos dias.

“Como o resultado está sendo bom, resolvemos investir em outra food bike para colocarmos em outro ponto que atendemos”. Disse Dona Lia Márcia.

Dona Lia Márcia investiu há um ano a food bike para melhorar suas vendas, daí começou a trabalhar com ponto fixo dentro da Unig onde trabalha todos os dias vendendo suas delícias. Ainda segundo Dona Lia, mesmo não tendo terminado de pagar o investimento, pode afirmar que o resultado final das vendas está muito melhor após ter unido seu produto com a food bike.
Reportagem:
Revista Bike & Vida

Deixe uma resposta

Topo